Europa

9 cidades europeias para visitar em família

16 Dezembro, 2014

Muitas vezes perguntam-me quais as cidades europeias que mais gostei de visitar ou pedem-me sugestões e dicas sobre os melhores lugares para visitar por lá com os miúdos.

A resposta não é nada fácil, como imaginam! Para começar, é preciso relembrar que gosto muito de conhecer grandes cidades e que as minhas escolhas vão necessariamente ao encontro dos meus gostos e prioridades pessoais.

Mas hoje decidi partilhar aqui algumas das minhas cidades europeias preferidas, aquelas onde já estivemos em família e nos marcaram pela positiva. Pelo menos até hoje, pois tenho de fazer aqui a importante ressalva de que esta é uma lista permanentemente inacabada, porque sonhos e projectos de viagens é coisa que não falta cá por casa!…  🙂

Quem me conhece também sabe que prefiro fazer férias de uma forma independente e fora dos típicos roteiros turísticos e são precisamente os nomes mais alternativos e improváveis que gosto de sugerir.

Apesar disso, nesta lista de cidades europeias também constam destinos mais conhecidos, como Londres ou Paris. Porque, mesmo não fazendo parte das nossas prioridades de viagem, são sem dúvida visitas imperdíveis para os miúdos que conseguem reconhecer facilmente muitos dos símbolos arquitectónicos e culturais que caracterizam cada uma destas cidades.

Esta é pois uma lista de preferências sem qualquer ordem de importância, perante a dificuldade de colocar umas cidades europeias à frente de outras (são todas quase igualmente fantásticas!) decidi que seria mais justo (e fácil para mim, vá admito) fazer uma enumeração por ordem alfabética e resolver assim o assunto.

É então uma listagem de pequeninas coisas que reflectem a nossa experiência pessoal, porque por uma ou outra razão, todos estes lugares em cidades europeias nos tocaram de uma forma tão especial que afinal cabem lado a lado no nosso coração, sem atropelos ou qualquer ordem formal a separá-los.

As minhas sugestões de CIDADES EUROPEIAS para visitar em família são variadas.

Espero vos sirva de inspiração, para a vossa própria lista de preferências:

1. AMESTERDÃO, Holanda

Quem lá foi, não esquece as pontes, os passeios nos canais, as ruas estreitas e labirínticas, os piqueniques improvisados nos jardins públicos. As visitas aos museus, a imensa escolha de queijos, socas de madeira e túlipas.

NEMO ou mesmo as bicicletas que servem para tudo e mais alguma coisa (até para transportar móveis, falar ao telemóvel e segurar um chapéu-de-chuva, ao mesmo tempo, que eu vi!!).

  • Vantagem: O comboio do aeroporto para o centro da cidade é directo e rápido
  • Desvantagem: O clima (é muito ventoso e chuvoso)
  • Experiência inesquecível: Ir ao Kinderkookkafé no Vondelpark (onde as crianças escolhem e cozinham a própria refeição)
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Cidade de Colónia na Alemanha (a cerca de 3h de comboio)
amesterdão, holanda

O Francisco a preparar uma pizza no Kinderkookkafé em Amesterdão

2. BARCELONA, Espanha

Espanha é um dos países em que a notoriedade e o fluxo de visitantes da capital é superado por outra grande cidade. E muito justamente, digo eu que gosto bastante de Barcelona e um pouco menos de Madrid.

Porque a primeira é uma cidade com ambiente de festa o ano inteiro. Porque tem praia, serra, campo e as vantagens de ainda ser um grande centro urbano. Porque tem um clima muito ameno (raramente chove) e ainda muita escolha de hóteis e restaurantes, muitos passeios e visitas para fazer.

  • Vantagem: Está a uma curta viagem de avião desde Portugal (e tem vários voos low cost)
  • Desvantagem: Tem sempre demasiados turistas
  • Experiência inesquecível: Alugar uma bicicleta e percorrer todo o calçadão junto à beira-mar
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Parque temático Portaventura (a cerca de 1h15m de comboio)
barcelona, espanha

Alugar uma bicicleta em Barcelona é uma forma muito interessante de conhecer a cidade

3. BERLIM, Alemanha

Possivelmente os miúdos não vão reter todos os pormenores históricos, mas quase garanto que não se vão esquecer do inesquecível, que há 25 anos havia um muro a dividir aquela terra.

Actualmente é uma cidade imensa, grandiosa, cheia de histórias e monumentos imponentes, mas onde o passado convive muito bem com a modernidade. E nós gostámos de ver as bicicletas de Berlim, até dentro dos comboios!

  • Vantagem: Tem uma grande história para contar
  • Desvantagem: É muito grande, difícil de percorrer a pé e em poucos dias
  • Experiência inesquecível:  Percorrer os pedaços do muro que ainda restam e depois conseguir colocar um pé em cada lado da antiga cidade dividida
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Parque temático Legoland Discovery Centre (na Potsdamer Platz)
berlim, alemanha

Em Berlim, é obrigatório visitar os pedaços que ainda restam do Muro!

4. BRUXELAS, Bélgica

É normalmente conhecida como uma cidade de trabalho, o centro da União Europeia, mas na verdade tem muito mais para oferecer além disso.

É, por exemplo, a cidade da banda desenhada (Tintim, Smurfs), do Manneken Pis (a pequena estátua do menino que faz chichi), do Atomium (um edifício com uma estrutura muito especial cheia de esferas) E ainda do Mini-Europe (um parque temático com as minuaturas dos edifícios europeus).

  • Vantagem: Há muitos lugares interessantes para visitar
  • Desvantagem: O clima (é normalmente “cinzento”)
  • Experiência inesquecível: Comprar um waffle com chocolate numa roulote de rua
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Cidade de Bruges (a cerca de 1h30m de carro)
bruxelas, bélgica

Os miúdos não resistiram a provar um waffle nas ruas de Bruxelas

5. COPENHAGA, Dinamarca

Estamos lá e parece que estamos dentro de um conto de fadas, com castelos, jardins e tantas mas tantas bicicletas na rua, que é quase irreal. Apesar de ser a capital do país, é uma cidade relativamente pequena e por isso pode ser facilmente visitada a pé.

Eu já aqui referi que há 20 coisas a não esquecer em Copenhaga, onde o nível de segurança é enorme (os pais vão às lojas e deixam os bebés a dormir nos carrinhos à entrada, na rua!) e todos falam inglês. Também foi aqui que se inventou o Lego e se pode visitar o Tivoli, a fábrica da Carlsberg ou a Pequena Sereia.

  • Vantagem: Ruas, restaurantes e lojas bastante “amigas das famílias”
  • Desvantagem: Custo de vida elevado
  • Experiência inesquecível: Ir a um jardim durante a tarde e apreciar a rotina familiar dos habitantes
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Parque temático Legoland em Billund (a cerca de 3h de carro)
copenhaga, dinamarca

Nos nossos passeios pelos parques de Copenhaga, cruzámos-nos sempre com muitas famílias a brincar durante as tardes

6. ESTOCOLMO, Suécia

É uma cidade feita de várias ilhas e só isso já tem o seu encanto muito próprio. Mas a ilha Djurgården parece ter sido especialmente construída para a alegria das famílias: tem jardins com patos, a Junibacken (a casa da Pipi das Meias Altas), o museu ao ar livre Skansen, o parque de diversões Gröna Lund, o Museu da Ciência e Tecnologia, o Museu Vasa e ainda o recente Museu dos ABBA.

É também o lugar onde se pode dormir num avião com camas mesmo a sério, se comemora o Midsummer com as suas curtíssimas noites de Verão (cerca de 2 a 3 h) e onde os homens de gravata andam de bicicleta!

  • Vantagem: Fácil e completa rede de transportes públicos
  • Desvantagem: O clima, instável durante quase todo o ano e muito rigoroso no Inverno
  • Experiência inesquecível: Apanhar um ferry, daqueles que os habitantes usam
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Arquipélago de Estocolmo (existem ilhas a partir de 1h de ferry de distância da cidade)
estocolmo, suecia

Esta foi uma viagem de ferry inesquecível (apesar da chuva!)

7. LONDRES, Inglaterra

A língua inglesa é a segunda língua ensinada nas escolas portuguesas e isso faz com que todas as crianças conheçam muito bem os símbolos culturais de Inglaterra. Acho que visitar Londres é pois tornar realidade aquilo que se habituaram apenas a ver em livros e filmes.

Além disso, também tem a vantagem de os miúdos conseguirem praticar tudo aquilo que aprenderam em sala de aula. E até ficarem a conhecer mais algumas expressões que só se usam na língua falada do dia-a-dia. A cidade não é barata, mas eu já aqui enumerei 8 coisas grátis para fazer com a família e até aprendi a ver Londres com outros olhos.

  • Vantagem: Muita variedade de restaurantes, lojas e cultura mundial
  • Desvantagem: Os habitantes locais são pouco afáveis
  • Experiência inesquecível: Subir às costas de um leão em Trafalguar Square
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Estúdios Harry Potter (a cerca de 1h de autocarro)
londres, inglaterra

Subir às costas de um leão em Trafalguar Square, foi um ponto alto da nossa visita a Londres

8. PARIS, França

Poucas serão as crianças que não reconhecem a Torre Eiffel. Mas conseguir vê-la assim de perto é mágico. Já foi em 2007 que estive lá com os meus filhos pela primeira vez. E depois disso voltámos e fomos ao Parque Astérix.

Em qualquer uma das vezes, não chegámos a subir porque as filas eram enormes e a paciência para ficar à espera muito pouca! Mas nem por isso deixámos de gostar muito de lá ter estado, bem aos pés daquela gigante Torre.

  • Vantagem: Há muito para apreciar, ver e visitar
  • Desvantagem: Poucos habitantes se disponibilizam a falar inglês
  • Experiência inesquecível: Colocar um cadeado na Ponte das Artes (ou em qualquer outra)
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Disneyland Resort Paris (a cerca de 1h de carro)
paris, frança

Colocar um cadeado numa ponte tem outro encanto em Paris!

9. ROMA, Itália

Dependendo da idade dos miúdos, é possível que já tenham aprendido na escola alguns factos sobre o Império Romano e por isso é mais fácil envolvê-los nas visitas. Da nossa passagem pela cidade fica a recordação de habitantes barulhentos e efusivos.

Mas também de muitos monumentos e edifícios espalhados por todo o lado e às vezes até “encurralados” entre tanta grandiosidade, como é o caso da Fonte de Trevi e do Coliseu, por exemplo, que surgem onde menos se espera.

  • Vantagem: Cada esquina tem uma história para contar
  • Desvantagem: Os edifícios e as estruturas hoteleiras são maioritariamente antigas
  • Experiência inesquecível: Estar em frente ao Coliseu
  • Dica de visita, se tiverem tempo: Saborear um gelado em frente à fonte de Trevi e pedir desejos
roma, italia cidades europeias

Em Roma, os miúdos ficaram encantados com o Coliseu

E para visitas do outro lado do Atlântico, espreitem ainda as minhas escolhas no Brasil em as 9 cidades brasileiras para visitar em família.

****

Estamos no facebook e instagram

AVALIE ESTA PUBLICAÇÃO

Aguarde…
RECOMENDO TAMBÉM

6 Comentários

  • Responder Domitila 23 Abril, 2015 at 14:06

    Gostaria de saber se é bom levar o carrinho de bebe para passar o dia fora , passeando na cidade de Londres, França e Italia.Pois tenho dosi pequenos um de 1 ano e outro de tr~es.Gostaria de levar o carrinho de bebe.
    bjs

    • Viajar em Família
      Responder Viajar em Família 23 Abril, 2015 at 14:31

      Olá, eu diria que com essas idades é muito importante o carrinho pois eles cansam-se depressa e precisam de descansar, mas os pais podem continuar os passeios, além disso até dá jeito ter onde ir colocando sacos e compras que vamos acumulando ao longo do dia. Usem um daqueles bem simples e práticos, tipo “bengala”.

      O único lugar que visitei que achei pouco adequado a carrinhos foi o metro de Londres, mas já há algumas linhas com elevadores e sempre alguém para ajudar!

      Boas viagens em família e depois contem aqui como correu!! 🙂

  • Responder Carlos neves 25 Janeiro, 2016 at 11:45

    Há três anos que viajamos em família…uns são mesmo familiares e outros são amigos. Ao todo somos 10…já tivemos em Londres, Roma e este ano iremos em direcção a Bruxelas, Bruges e Amsterdão…permitam-me que sugira Dublin, com um pulinho a Belfast (excursões locais que se arranjam na hora). Cidades tranquilas que se visitam muito bem num dia ou dia e meio. Um abraço.
    Carlos Neves

    • Viajar em Família
      Responder Viajar em Família 25 Janeiro, 2016 at 12:33

      Olá Carlos. Que bom, que têm esse hábito de viajar em família! Obrigada pela partilha e pela sugestão, Dublin é de facto uma excelente visita (já lá estive, anos antes de criar este blog). E boa viagem até Bruxelas e Bruges, são cidades que me surpreenderam pela positiva. Há muito que ver e fazer com os miúdos por lá. 🙂

  • Responder Monicacosta 14 Junho, 2017 at 9:40

    Adorei as dicas e sugestões ! Estão aqui contemplados 2 destinos que quero conhecer , Dinamarca e Suécia .Nao conseguir encontrar foi voos low cost .Mas obrigada pela partilha ?

    • Viajar em Família
      Responder Viajar em Família 14 Junho, 2017 at 15:53

      Gosto taaaanto da Dinamarca e da Suécia! 🙂 Considero óptimos destinos para ir com os miúdos. E sim, penso que agora já não existem voos low cost… mas é ir pesquisando até encontrar um bom preço. Boas viagens!

    Quero Comentar

    Na imprensa

    Logótipo do suplemento Fugas do Jornal Público
    Logótipo da revista I Like This
    Logótipo da revista Calm
    Logótipo da revista Sábado
    Logótipo da Sapo Viagens
    Logótipo da revista Pais & Filhos
    Logótipo da revista lux women
    Logótipo da revista UP