DICAS DE VIAGEM

Como sobreviver às viagens em família

6 Julho, 2016

Para conseguir sobreviver às viagens em família (sem que ninguém chegue mais cansado do que quando saiu) é preciso alguma dedicação e organização. 😉

Sim, eu sei que ando sempre a apregoar que viajar é das melhores coisas que podemos fazer com os nossos filhos. E é mesmo!

Mas pela minha experiência, também sei que nem sempre é fácil passar 24 horas sobre 24 horas com as mesmas pessoas durante vários dias (ou semanas) de uma só vez. E por isso hoje decidi abordar este tema, com sugestões divertidas e muito fáceis de colocar em prática.

Se é em época de férias que a família passa mais tempo junta, então é preciso ter consciência de que os conflitos podem mesmo surgir e arruinar quaisquer planos ou até as melhores das intenções.

Aprender a lidar com as diferentes personalidades familiares em contextos fora da habitual rotina é então muito importante para manter a harmonia nas férias e assim mais facilmente conseguir sobreviver às viagens em família.  😉

sobreviver às férias em família

Gonçalo e Francisco no metro em Londres

Porque como também devem saber por experiência própria, num grupo há sempre alguém que quer ficar a dormir, enquanto os outros preferem acordar cedo e até se lembram de ir ver nascer o sol.

Há quem prefira ir para resorts para estar estendido na toalha o dia inteiro e não se preocupar com refeições ou entretém para os miúdos. Mas também conheço quem fuja desses lugares massificados a sete pés ou não troque uma grande cidade por nada deste mundo!

Ora, com as devidas adaptações às idades dos intervenientes, a minha intenção é deixar aqui algumas ideias para usarem em situações potencialmente desgastantes. Para que o porquê fazer férias em família ou o levar os miúdos para todo o lado nunca sejam postos em causa!  😉

E depois das ideias simples para as férias em família, tomem então agora nota de várias dicas.

Sobreviver às viagens em família, em 3 fases essenciais:
1. PREPARAÇÃO
  • Envolver todos – Perguntar aos vários elementos da família onde querem ir ou o que querem fazer. Não é justo ser sempre o mesmo a decidir! As crianças também devem ser ouvidas, incluídas nas pesquisas para se sentirem parte importante de todo o processo e até serem responsáveis pelas decisões. A regra do “uma escolha tua, uma escolha minha” normalmente funciona bastante bem connosco.
  • Contar histórias – Apresentar o destino a visitar através de curiosidades, livros, filmes … é meio caminho andado para incutir interesse sobre o que se vai ver nas férias. O que podia ser uma completa novidade passa a estar inserido num contexto conhecido por todos, o que aumenta consideravelmente o seu sucesso. Acredito pois que quanto mais conhecimento, mais envolvimento.
2. EM VIAGEM
  • Dar espaço –  É super importante existir tempo para todos e para cada um dentro da família. Podem até ser apenas 10 minutos num dia (um banho relaxante, um gelado numa esplanada, a leitura de umas páginas de um jornal…). Mas considero fundamental que miúdos e graúdos consigam ter momentos a sós, a fazerem o que mais gostam. Mantém todos contentes e é assim possível sobreviver às viagens em família de uma forma saudável.
  • Visitas temáticas – Tenham em atenção os temas a que os miúdos tiveram acesso no programa escolar e as suas próprias preferências pessoais. Desportistas, artistas, cientistas … podem ser surpreendidos com lugares que correspondam a esses interesses específicos. Garanto que o entusiasmo com que visitam museus, cidades ou eventos ligados às suas paixões será inesquecível. Sendo que a paz e a alegria durante as férias serão logo uma boa recompensa.
3. CHEGADA
  • Passar para a escrita – Por muito inesquecíveis que alguns momentos sejam, vão sempre existir alguns que acabam por desaparecer com o passar dos anos. É inevitável. Para tentar perpetuar as melhores peripécias e descobertas, é aproveitar a memória fresca e fazer o resumo dos acontecimentos por escrito pouco tempo depois de terem acontecido. Dentro de alguns anos, vai saber bem rever tudo isso.
  • Preparar a próxima – Perguntar à família sobre as experiências vividas: o que acham que correu bem, o que correu menos bem. E começar logo a planear a próxima saída em família. Recomeçar novo ciclo, mas desta vez já melhorado e aumentado.  😉

Depois contem-me como conseguiram sobreviver às viagens em família. E se tiverem mais dicas também gostava de as conhecer. Escrevam-me.

Boas férias e boas viagens!

****

Estamos no facebook e instagram

RECOMENDO TAMBÉM

Deixe um comentário