Brasileirando

Samba do avião de Tom Jobim

4 Outubro, 2016

Já repararam como isto está tudo ligado?…

Viajar também é conhecer a música, as pessoas que fazem parte de uma cultura. Ora, é isso mesmo que eu e a Helena estamos a fazer com este desafio de 10 dias, ao qual chamámos Brasileirando e que fala do sonho de ir ao Brasil.

Por agora, fiquem com mais esta sugestão Viagens da Helena:

” Samba do Avião

Ao quarto dia, quem tem acompanhado este desafio Brasileirando já percebeu que eu e a Joana estamos a dar a conhecer o nosso Brasil … divido-lo por temas é justo, eu conto as histórias das músicas que me inspiram e das pessoas que me comovem e ela revela-nos curiosidades e delicia-nos com receitas que por lá provou. Até aqui tudo certo, mas pedir para escolher é sacanagem! 

Claro que eu tenho escolhas sobre o Brasil, mas a música Brasileira que mais me inspira ou a pessoa que mais me comove é tortura … não tem um primeiro, um segundo ou terceiro, não tem um mais ou outro mais ou menos … estas músicas são o significado de tudo o que o Brasil é para mim. São parte de mim.

Agora, dentro desta tortura deliciosa de escolher, há uma ou outra escolha que eu pergunto-me como é possível de ser feita. Como é possível alguém ser tão bom, ser tão genial, ser tão mestre, que em cada opção fico com aquela sensação de ciúme de uma outra? Confuso? Eu explico!

Falei já de Gilberto Gil, lembrei Gal Costa e Tim Maia, celebrei Cartola … hoje, quarta música, pensei que estava na hora, não podia atrasar mais esta escolha. Não tem ordem de importância, tem sim um valor intrínseco ao meu ser. Os outros escolhidos também têm. Mas este é o mestre da canção e o pai da Bossa Nova, Tom Jobim.

tom-jobim

Então, claro, a escolha é Garota de Ipanema! Mas aí, espera … não, a escolha é Chega de Saudade … não, não, deve ser Águas de Março … ah, não, já sei, Corcovado, definitivamente, ou então, sim, claro, é Desafinado!

Está instalada a guerra do amor …

“Como assim?” reclama a minha consciência.

Veja bem, de tanto amar, eu tenho ciúme de escolher uma e a outra não me perdoar.

“Maria Helena, tu não estás boa da cabeça? São músicas, menina, apenas músicas!”.

Pois aí é que te enganas, cara consciência, não são músicas, é a banda sonora da minha vida, e por isso, sou Eu!

António Carlos Jobim, o poeta, moldou a minha forma de ser, de pensar, de sentir.

Tendo que escolher, escolho o belo Samba do Avião, que é talvez a música que mais me lembra o momento da minha chegada de avião ao Rio de Janeiro e toda a sua beleza.

mh

Senhoras e Senhores com vocês, Tom Jobim e Miucha cantam

Samba do Avião

Minha alma canta
Vejo o Rio de Janeiro
Estou morrendo de saudade
Rio teu mar, praias sem fim
Rio você foi feito pra mim

Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara

Este samba é só porque
Rio eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar

Rio de sol, de céu, de mar
Dentro de mais uns minutos
Estaremos no Galeão

Este samba é só porque
Rio eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar

Aperte o cinto, vamos chegar
Água brilhando, olha a pista chegando
E vamos nós aterrar “

****

Visitem também a nossa página do facebook e instagram

RECOMENDO TAMBÉM

Deixe um comentário