Brasileirando

Jô Soares, “o gordo”, um artista brasileiro

1 Outubro, 2016

O Jô Soares é um homem dos sete ofícios. Mas será talvez do programa “Viva o Gordo” que vocês mais o recordem, não?

Então, incluído na partilha de artigos sobre o Brasil, é dele que a Helena do blog  Viagens da Helena nos vai falar agora:

“VIVA O GORDO

Quando eu penso num cara figuraça eu lembro-me sempre dele … ok, ok, e de mais uns dois ou três, mas ele sempre vem primeiro! José Eugénio Soares, baita de um nome chique, né?

E é! Chique e Gordo! Não o nome, ele mesmo! Jô Soares!

Eu tenho quarenta e dois anos e cresci, literalmente, com o Jô na minha sala de estar dentro da televisão. O Viva o Gordo era um programa da Tv Globo que passava na RTP ao sábado à noite e que formou o humor português e as conversas de café de segunda feira, pois num país tão cinzento (sim, eu sei, o meu querido Herman já começava a colorir a nossa vida!) este humor aguçado, picante e completamente irónico e non-sense despertava as mentes tacanhas que se abriam numa liberdade recentemente conquistada. Estávamos em 1981. E assim foi até 1987!

Acho que dá para ver como tudo isto veio animar o sábado à noite da terrinha!

Agora, aí desse lado, que viram o Gordo tantas vezes como eu, eu pergunto: vocês o conhecem? Adianto que … não, não é gay; nem renegou ninguém, e também não é tão badalado como se pensa! Bem, tem tanto de tamanho como de boa pessoa e isso comove-me … porque além de rir, eu choro de rir também!

Ele nasceu em ’38 (já somaram pelos dedos o tanto de vida vivida?), filho único de um casal burguês que vivia no Rio de Janeiro, no Hotel Copacabana Palace, o que vamos concordar, fez toda a diferença!

Queria ser diplomata. Foi estudar na Suíça. Aprendeu fluentemente cinco línguas e sim, também toca piano! Mas … sempre tem um mas … o humor e criatividade inata fez-se notar e impossível de negar. A vida deu voltas e à riqueza sucedeu-se momentos de carestia.

Trabalhou frustradíssimo por um ano até ser olhado por um futuro colega e parceiro, Silveira Sampaio, que agourou uma vida no palco, cinema, literatura, enfim … Tínhamos artista!

Começa sua carreira nos fins dos anos 50, os famosos anos dourados, e trilha um caminho de sucesso que vê o seu auge no one man show VIVA O GORDO … como parceiros teve vários artistas famosos como Chico Anysio ou os que viriam a ser, lembram-se desta bela garota?

Ela, a bela e escultural Claúdia Raia, foi sua mulher por dois anos. Aliás, o Jô casou-se umas quatro vezes tendo um único filho, Rafael, um menino autista de uma sensibilidade incrível a quem o pai prestou homenagem após a sua morte no Programa do Jô, o seu talk show que é exibido até aos dias de hoje.

Podia passar aqui o resto da noite a contar-vos a sedução e a comoção que o Jô me provoca, porque ele é um sedutor … ah, ele é carioca! Mas por hoje e para acabar deixo-vos um …

BEIJO DO GORDO!

mh “

****

Visitem também a página de facebook e instagram

RECOMENDO TAMBÉM

Deixe um comentário