DICAS DE VIAGEM, Portugal

Bicicletas pela cidade: Aveiro

8 Dezembro, 2013

Assumindo a minha grande admiração por todos os ciclistas urbanos, a partir de hoje este será o espaço onde contarei pequenas histórias das pessoas com quem me vou cruzando nas diversas cidades, onde a bicicleta assume o estatuto de um importante meio de transporte diário.

E quando penso em bicicletas urbanas em Portugal, penso imediatamente em Aveiro e nas suas BUGAS – Bicicleta de Utilização Gratuita de Aveiro. Foi assim, e aproveitando os conhecimentos locais de uma amiga que mora por lá (obrigada Filipa pelo passeio) revisitei recentemente esta cidade em família (porque também nisto dos passeios e das viagens, os amigos são como da família).

Ao chegarmos, um dos miúdos não conteve o espanto “parece que chegámos a Veneza!” Os canais e a constante movimentação dos barcos são uma referência mundial.

E foi aqui que conheci um novo modelo de “bicicletas”, que em cerca de 30 minutos promete levar os visitantes a conhecer os cantos à cidade. Chama-se Bike&Vento e os miúdos gostaram bastante (principalmente da tentativa de condução) daquela voltinha demonstrativa, pois em época baixa apenas funcionam por marcação prévia.

Ao longo da cidade encontrei diversas utilizações da bicicleta: por adultos, por crianças, por pais de família, por estudantes, por hábito ou por necessidade…

E foi perto de um dos canais que encontrei a Enfermeira Clara, agora reformada, em passeio pela cidade. “Todos os dias uso a bicicleta, para as minhas pequenas voltas, vou comprar pão… e até algumas compras no supermercado, cabem todas aqui na mochila”. Ainda perguntei se um cesto não ajudaria, mas acha que “abana” muito e por isso anda sempre com a mochila.

Aveiro

Durante vários anos, usou a bicicleta para ir para o trabalho. “Comecei em 2005, tinha na altura 50 anos. Era eu e um médico que fazíamos isso todos os dias. Eu fazia 8 kms e nem a chuva me assustava, protegia-me bem e não me molhava nada!”.

Não se consegue lembrar de nada menos positivo neste meio de transporte (que acaba também por ser uma opção de vida). E apesar de viver numa cidade com muitas ciclovias, quando precisa de ocupar o passeio, diz que só sente apoio e respeito mútuo por parte das pessoas que circulam a pé.

“A bicicleta é a melhor coisinha que há, quem experimenta não quer outra coisa”, disse emocionada. E eu fiquei convencida!

Vamos todos seguir o exemplo?

RECOMENDO TAMBÉM

Deixe um comentário