DIÁRIO, Dinamarca

11.12.13

11 Dezembro, 2013

Hoje é o dia. É o dia em que a data parece brincar com a sucessão de números (e dificilmente repetirá a proeza) mas hoje também é o dia em que voltei a Copenhaga, apesar de ser uma visita relâmpago, esta é uma daquelas cidade a que regresso sempre sem pensar duas vezes!

E tal como os números do dia de hoje, também esta minha (re)visita une um conjunto de ideias que só pretendo que sigam semelhante encadeamento ascendente.

Tento cultivar a minha curiosidade diariamente e gosto muito de desafios e por isso aquela sensação de chegar a um sítio pela primeira vez é naturalmente bastante aliciante, porque tudo é novidade, tudo é uma descoberta constante. Mas, por outro lado, às vezes também procuro esta vivência de regressar aos sítios onde já estive e por isso a sede de conhecer e calcorrear todas as ruas, ruelas, parques, lojas e restaurantes já não é tão intensa e urgente.

Alterado o conceito, vivo então estas visitas de uma forma mais calma, pois ao já “conhecer os cantos à casa” (que é como quem diz que já sei que transporte apanhar, qual o café onde mais gosto de ir ou quanto vou pagar por uma água), deixa-me mais tempo para usufruir de outros pormenores e concentrar-me em diferentes aspectos. O foco da minha atenção fica então alterado e, sem dúvida, disponível para outras e novas descobertas, até na cidade das divertidas bicicletas familiares (mais conhecidas por cargo).

E foi assim que me deixei preencher com renovados estímulos, hoje e aqui, percebi que o tal assustador frio nórdico, afinal apenas atingiu os sete graus (mas contar com um constante ceú nublado e de começar a escurecer perto das 15 h), a verdade é que não há neve nem frio cortante  – desilução!…

É também desarmante a naturalidade com que uma rapariga entra no autocarro com uma embalagem de rolos de papel higiénico na mão (só não tirei uma foto por vergonha) ou então um pai que deixa o filho a brincar numa mesa de Legos pública e vai pôr-se a ler e a beber um café ali quase em frente.

Para mim, é a pura da descontracção a passar-me constantemente à frente dos olhos e é disto que aqui mais partilharei nos próximos dias.

RECOMENDO TAMBÉM

3 Comentários

  • Reply Carlos 11 Dezembro, 2013 at 22:43

    Uau! isso vale mesmo a pena… estou certo que sim! Força Joana. Desfruta, desfruta e desfruta o teu gosto pelo norte da Europa Aqui também está frio mas penso que o cinzento é mais cinzentão aqui! Talvez o sul não ajude. Desejo-te uma ótima viagem e bom regresso.

  • Reply Carlos 11 Dezembro, 2013 at 22:49

    Oops! por pouco deixava que o teu “alerta” para o dia 11, do mês 12, do ano 13 passasse em vão! É verdade, ninguém (ou poucos) tentou aproveitar o efeito de marketing que isto poderia ter… Talvez o cinzento dos dias e o frio tenham dado outro mote aos marketers do tempo. Continua a desfrutar essas diferenças descontraidas dessa cultura viking.. bons frios e muitas fotos para nos mostrarem a tua visão das coisas… diferentes.

    • Viajar em Familia
      Reply Viajar em Familia 12 Dezembro, 2013 at 8:33

      Estou mesmo a tentar captar todas estas “diferenças” para depois contar por aqui. Obrigada Carlos!

    Deixe um comentário